Alimentação saudável para todos!

Quem acha que a pauta da alimentação saudável é exclusivista, na verdade, não entende como algo que parece ser tão trivial, afinal, estamos falando de comida, possa impactar não apenas a nossa saúde, como também reflete a forma como vivemos no mundo e para o mundo.

Vez ou outra escuto que o tema da alimentação saudável é um tema de menor relevância política no Brasil devido a tantos problemas mais urgentes que assolam o país. Que se trata de uma preocupação elitista, visto o elevado preço dos alimentos considerados saudáveis e o reduzido orçamento familiar da maioria da população brasileira. E que só as pessoas saudáveis e bem informadas se interessam pelo assunto, já que os considerados não-saudáveis assim o são simplesmente porque não querem e, pior, eles podem se sentir constrangidos quando questionados sobre sua alimentação.

Quanto absurdo!!

Quem acha que a pauta da alimentação saudável é exclusivista, na verdade, não entende como algo que parece ser tão trivial, afinal, estamos falando de comida, possa impactar não apenas a nossa saúde, como também reflete a forma como vivemos no mundo e para o mundo. O que isso quer dizer? Que enquanto indivíduos dotados de necessidades e vontades, nós somos resultado do mundo em que vivemos e ao mesmo tempo, podemos influenciar o mundo que queremos para nós.

Ou seja: nem tudo o que comemos é resultado das nossas escolhas, sejam elas motivadas por ordens fisiológicas ou culturais. Engana-se, portanto, quem acha que come o que quer. Não é bem assim! Há quem defina e controle a nossa alimentação: os grandes frigoríficos, a indústria de alimentos, as empresas de sementes, as grandes redes de supermercado, a indústria cultural, os nossos governantes… essas instâncias decidem quais alimentos irão circular livremente e quais serão restritos.

Por outro lado, nós ainda temos algum poder de escolha sobre os alimentos que circulam por aí. Em especial, nós podemos alterar velhos hábitos alimentares que nos foram passados de geração em geração com base em argumentos industriais e científicos e tentar outras formas de se alimentar. Ou vai me dizer que você nunca escutou falar que gelatina é bom pra pele porque tem colágeno, que peito de peru é saudável porque é carne branca ou que leite é a maior fonte de cálcio entre os alimentos e portanto, o mais fundamental para a saúde dos ossos?

Se para você tudo isso soa como uma teoria da conspiração, recomendo parar um pouco e começar a refletir sobre sua alimentação. Por que você come o que você come? Se você aceitar o desafio, escreva sua reflexão nos comentários! Quero ver quem tem coragem! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.